Avaliação da Presença de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade em Pacientes Submetidos à Cirurgia Bariátrica e Sua Relação Com a Evolução Ponderal no Pós-operatório

Nome: Doglas Gobbi Marchesi
Tipo: Dissertação de mestrado profissional
Data de publicação: 10/12/2014
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Jovana Gobbi Marchesi Ciriaco Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ester Miyuki Nakamura-Palacios Examinador Interno
Jovana Gobbi Marchesi Ciriaco Orientador
Maria Carmen Ferreira dos Santos Suplente Interno
Otávio Cansanção de Azevedo Examinador Externo

Resumo: Introdução: A cirurgia bariátrica apresenta resultados efetivos e consagrados no combate à pandemia da obesidade. Entretanto ainda existem poucos estudos que avaliam os fatores de prognóstico no sucesso do tratamento cirúrgico da obesidade. Recentemente, estudos descreveram que o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) está diretamente relacionado com a obesidade e a maior dificuldade de perda de peso com tratamento clínico. Este estudo pretende iniciar a análise de possíveis efeitos negativos do TDAH no sucesso da cirurgia bariátrica.
Métodos: Foram avaliados quarenta pacientes já submetidos a cirurgia bariátrica e com acompanhamento pós-operatório regular mínimo de um ano. Todos foram submetidos ao questionário preconizado na quarta edição do Diagnostic and Statistical Manual (DSM-IV) da Associação Americana de Psiquiatria para TDAH e analisados os dados pós operatórios.
Resultados: Treze (38%) pacientes apresentaram questionário positivo para TDAH. Os paciente com TDAH apresentaram IMC maior do que os pacientes sem o transtorno, mantendo-se a diferença em todas as etapas do pós-operatórios. Não foi encontrada diferença estatisticamente significativa no sucesso da cirurgia (p=0,505), e na redução do IMC (p=0,671) após um ano do procedimento.
Conclusão: Os pacientes com TDAH apresentam maior IMC, entretanto, a presença do TDAH não apresenta influência no sucesso da cirurgia bariátrica e na redução do IMC. Apesar dos resultados, outros estudos, avaliando outros dados, como complicações pós-operatórias, maior tempo de acompanhamento, melhora das comorbidades, entre outros, são necessários para se definir a real influência do TDAH no pós operatório de cirurgia bariátrica.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105